Menu
Casa com pets: saiba como conservar seus móveis

Casa com pets: saiba como conservar seus móveis

Avatar de Nilson Tales Guimarães Nilson Tales Guimarães 1 ano Atrás

Você adora conviver com os seus pets, mas não aguenta mais ter que investir em conserto e reparação dos seus móveis? Confira algumas dicas para não ter mais esse trabalho!

Os pets estão em alta como nunca. No Brasil, estima-se que existem 132 milhões de pets, segundo  dados recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Desse grupo, 53 milhões são cachorros, 18 milhões são peixes, 22 milhões são gatos e 2,7 milhões são mamíferos e répteis com tamanho pequeno.

Quem convive com pet sabe a delícia que é chegar em casa e ver a alegria dele ao te receber, além de desfrutar da companhia do bichinho ao curtir o sofá, relaxar no parque, entre outros exemplos.

Por outro lado, tutores também sabem dos desafios de viver com um pet, como ensiná-lo os lugares onde devem defecar e urinar ou perder objetos que eles mordem ou comem (como fios, carregadores, chinelos, entre outros exemplos). Por isso, antes de comprar arranhadores e brinquedos para adestrar os seus bichinhos, confira algumas dicas para conservar os seus móveis — especialmente se você paga aluguel!

Compre móveis específicos

O primeiro passo é comprar alguns móveis específicos para o pet. Isso o desestimula a usar (e possivelmente danificar) os seus móveis. Por isso, é importante investir em móveis adequados para o pet, como caminhas, bancos e colchões.

Vale ressaltar que existem móveis diferentes para cada tipo de pet. Cada pet tem suas necessidades — algumas espécies de cachorros e gatos adoram dormir na cama de seus donos, enquanto animais silvestres de pequeno porte (como aves) não. É preciso analisar a rotina e as necessidades do seu pet antes de escolher cada móvel para ele.

Rede e protetor

Um detalhe essencial (e que muitas vezes pode passar despercebido) é a necessidade de colocar uma boa rede na janela, mesmo ao comprar móveis específicos para o pet. O ideal é colocar rede em todas as janelas acessíveis ao pet e na varanda, se houver.

Outro item essencial, especialmente se o seu pet é daqueles que adoram dormir com você na cama, são os protetores de colchão. Caso ele decida urinar ou defecar durante a noite, você não terá o seu colchão danificado (nem precisará pagar posteriormente o serviço de remoção das sujeiras que o pet deixou nele).

Material de revestimento, resistência e cor

Outra dica simples e importante é escolher bem os tecidos que revestem poltronas, sofás e almofadas usadas por humanos. Eles precisam ser fáceis de limpar e manter, como microfibra, couro e poliéster.

Além disso, é recomendado evitar tecidos que desfiam facilmente ou com texturas. Isso é ainda mais importante para quem tutora animais como pets. Escolha tecidos lisos e sem aderência para as unhas. É importante também avaliar a resistência de diferentes móveis e materiais — quanto maior for o tamanho do seu pet, mais resistente os seus móveis precisarão ser.

Outro aspecto importante é a cor dos móveis e de seus revestimentos. Aqueles em tons beges médios ajudam a esconder as marcas de pelos, manchas e sujeiras e podem te dar mais tempo entre uma limpeza e outra. 

Se o seu pet é filhote, vale retirar todos os tapetes da casa, pois eles demoram um tempo para aprender que não devem fazer as suas necessidades fisiológicas neles. Invista em fibra sintética, sisal e tapetes higiênicos.

Por fim, não se esqueça de guardar no interior dos móveis (a uma altura inacessível para o pet) objetos que podem feri-lo (como os pontiagudos ou cortantes). O mesmo é válido para itens delicados (como porcelanas, cerâmicas, porta-retratos ou itens de valor feito de materiais quebráveis). Deixe tudo muito bem guardado para o pet não quebrar nem se machucar.

Feito por

Formado em Engenharia de Alimentos pela UEFS, Nilson Tales trabalhou durante 25 anos na indústria de alimentos, mais especificamente em laticínios. Depois de 30 anos, decidiu dedicar-se ao seu livro, que está para ser lançado, sobre as Táticas Indústrias de grandes empresas. Encara como hobby a escrita dos artigos no Revista Rumo e vê como uma oportunidade de se aproximar da nova geração.